Depilação a Laser

Rejuvenescimento Cutâneo
Tratamento de Manchas
Vasculares e Pigmentadas
Tratamento de Rosácea
Microvarizes
Cicatrizes
Estrias
Remoção de Sinais e Tumores
Destatuagem

 

 

 

 

 

Cicatrizes


Quando por acidente, ou cirurgia se faz uma qualquer ferida na pele, segue-se um processo de reparação que resulta sempre numa cicatriz, mais ou menos visível.
Das cicatrizes pouco visíveis, quer pela localização, quer pela extensão, quer ainda por simplesmente serem pouco aparentes, não nos vamos debruçar pois não constituem qualquer problema.
Há porém cicatrizes resultantes de acidente ou mesmo de cirurgia, que resultam bastante inestéticas ou mesmo incómodas, constituindo um desafio para os médicos, em geral e muito especialmente para o Cirurgião Plástico e para o Dermatologista, pois estes pacientes muitas vezes recorrem a estes especialistas para tratar estas situações.

Podemos afirmar que uma cicatriz mesmo tratada com sucesso nunca desaparece totalmente, mas se tornar praticamente invisível deixa de constituir um problema.
Muitas vezes apenas é possível melhorar consideravelmente o aspecto da cicatriz e isso será, quiçá bastante satisfatório para o paciente e consequentemente para o médico.
Nem sempre as cicatrizes cirúrgicas, mesmo as realizadas com fins puramente estéticos, com a mais apurada técnica resultam bem, dependendo é claro do tipo de cirurgia, da localização da mesma e ainda, em boa parte da capacidade da pele cicatriz "bem".
Quando falamos em cicatrizes acidentais é claro que o problema se agrava.

Podemos dividir as cicatrizes inestéticas essencialmente em três tipos: - Atróficas, Hipertróficas e Queloides, podendo às vezes na mesma cicatriz haver mistura destes tipos.
As cicatrizes atróficas podem resultar da perda de substância consequente ao acidente ou à cirurgia, de uma cicatrização "por segunda intenção" ou seja sem recurso a sutura, a partir das camadas mais profundas da pele ou ainda do alargamento da própria cicatriz num momento posterior ao encerramento da ferida.

As cicatrizes hipertróficas são aquelas que ficam espessas e duras ao tacto mas não ultrapassam os limites da própria ferida. Há localizações anatómicas em que estas cicatrizes são mais frequentes e muitas vezes têm um carácter provisório no decurso do processo de cicatrização, desaparecendo progressivamente, quer espontaneamente, quer recorrendo a tratamento.

Os queloides são cicatrizes espessas, em que o espessamento e endurecimento ultrapassa a ferida que lhe deu origem. Constituem em grande parte uma "tendência" do próprio paciente e são mais frequentes em certos grupos étnicos - nos negros e na área de pele que fica entre o queixo e uma linha imaginária passando pelos mamilos.
Existem múltiplos tratamentos passíveis de ser usados nas cicatrizes dependendo a escolha no tipo, duração e localização da mesma.
Por vezes podemos recorrer à cirurgia correctiva com o objectivo de obter uma cicatriz menos visível, "deslocá-la" para localização mais "escondida" ou para uma prega natural.
Existem vários produtos de uso local que podem ser benéficos e a compressão com recurso a pensos especiais de silicone ou outros, pode estar indicada nas cicatrizes elevadas (hipertróficas ou queloides).
Os "peelings" químicos ou com laser podem ser benéficos em muitas situações e nas cicatrizes elevadas podemos recorrer a infiltrações ou a tratamento pelo frio (criocirurgia com azoto liquido).
Nos últimos anos o recurso ao laser tornou-se cada vez mais frequente, pois em muitos casos conseguimos resultados muito satisfatórios ou mesmo muito bons.

Podemos usar lasers "ablativos" (CO2 ou Erbium), promovendo um efeito de desgaste de uma cicatriz hipertrófica ou um efeito de "peeling" com renovação e rejuvenescimento da pele numa cicatriz atrófica com alterações de textura.
O aparecimento do laser vascular ( "dye laser") permitiu-nos tratar com sucesso muitas cicatrizes atróficas, hipertróficas e queloides devidamente seleccionadas, em tratamento único ou associado a outras técnicas.
Em pacientes com tendência a desenvolver cicatrizes inestéticas pós cirurgia ou em cirurgias em que as cicatrizes resultem em geral inestéticas ( por exemplo cirurgia cardio-toráxica ou cirurgia ao joelho), poderemos iniciar os tratamento de laser logo após a retirada dos pontos prevenindo assim, em grande parte aquele tipo de cicatrizes).
Consulte um dos nossos especialistas que certamente lhe dará resposta a um problema deste tipo.